Voltei ontem das férias! Foi tudo maravilhoso, correu tudo bem e foi muito cansativo! Andei imenso de um lado para o outro, inclusive n...

Voltei ontem das férias!
Foi tudo maravilhoso, correu tudo bem e foi muito cansativo! Andei imenso de um lado para o outro, inclusive na praia! Percorri-as todas, todos os dias… não sou pessoa de ficar sentadinha/deitadinha na toalha. Deliciei-me com a feira do livro e se pudesse comprava-a toda, mas não pode ser! Por alguma razão decidi que seria boa ideia entrar numa loja de coisas geek, como comics (adoro comics!), animes, filmes, séries, … Não foi boa ideia, estava pronta para trazer a loja toda embora, mas só trouxe duas coisinhas. Espero bem que esteja aberta para o ano, tenciono lá ir outra vez! De resto foi muita praia, muito protetor solar e muita pouca cor… continuo a ser quase transparente MAS agora com alguma cor (pouca, mas alguma).

No início achei que iam ser só uns dias sem ti. Que ia ter saudades mas que tudo se resolvia porque ia ser por pouco tempo. A verdade é que...

No início achei que iam ser só uns dias sem ti. Que ia ter saudades mas que tudo se resolvia porque ia ser por pouco tempo. A verdade é que estou tão habituado a ti, à tua presença, que o facto de não ter o teu abraço, a tua mensagem de bom dia - ou uma mensagem qualquer -, me mata por dentro. E é nestas alturas que sei o quão importante te tornaste. Não que precise que não estejas aqui para saber isso - porque te dou mais valor do que alguma vez dei a alguém. Mas quanto mais tempo passa, mais sinto que não consigo dispensar o meu dia-a-dia contigo, que não quero nem consigo dispensar a nossa rotina. Só quero que voltes a deitar a cabeça no meu peito e que me acalmes o coração.

Cheio de amor,
o teu rapaz.

É extremamente complicado adormecer contigo, saber que estás completamente segura nos meus braços e, na manhã seguinte, ter que te deixar...

É extremamente complicado adormecer contigo, saber que estás completamente segura nos meus braços e, na manhã seguinte, ter que te deixar ir de férias sem mim. Já morro de saudades. Volta rápido, meu amor.
Cheio de amor,
o teu rapaz.

ps: Quando voltares, cria uma tag para mim. 
Não gosto de vasculhar as tuas coisas.

Hoje só vos venho dizer que, nas próximas duas semanas, o blog vai andar mais parado. Aqui a Ava vai de férias e o mais provável é não ter ...

Hoje só vos venho dizer que, nas próximas duas semanas, o blog vai andar mais parado. Aqui a Ava vai de férias e o mais provável é não ter acesso à internet. 
Vou responder a todos os vossos comentários fofos assim que puder.
Até já!

 Adoro videojogos. Sou aquilo a que, muito popularmente, se chama de gamer .

 Adoro videojogos. Sou aquilo a que, muito popularmente, se chama de gamer.

Já lá vão meses sem escrever para ti. Não por falta de sentimento ou inspiração - essa dás-me tu, todos os dias - , a verdade é que me t...

Já lá vão meses sem escrever para ti. Não por falta de sentimento ou inspiração - essa dás-me tu, todos os dias -, a verdade é que me tornei preguiçoso. Mas não preciso de muito para estruturar um texto na minha cabeça sobre aquilo que sinto por ti, as palavras vão surgindo à medida que a tua imagem me vai passando pela cabeça. Acho que podia passar horas a falar sobre nós e o nosso amor, ou sobre ti e os teus caprichos mais estranhos. Conheço-te como ninguém e já me é impraticável passar um dia sem a tua presença. Sinto que não há melhor lugar do que o nosso, seja aquele cantinho no sofá, ou o centro da cama. A tua ausência deixa-me os músculos descontrolados e só quando te guardo no meu peito e os teus lábios alcançam o meu pescoço é que relaxo completamente. Não há ninguém que tenha o poder que tens sobre mim. Já pertenço a ti, já moro em ti - e não podia ser de outra forma.
Cheio de amor,
o teu rapaz.

Há aqueles pais/avós/tios que dizem “ah, sai daí se não vem a polícia!”. E depois as crianças crescem a ter medo da polícia, em vez de se...

Há aqueles pais/avós/tios que dizem “ah, sai daí se não vem a polícia!”. E depois as crianças crescem a ter medo da polícia, em vez de se sentirem seguras ao pé dela.

Passeios à beira-mar.

Passeios à beira-mar.

A Mariana do blog Colibri lançou um desafio do qual já muitos devem ter ouvido falar, o Mais de 1000 razões para ser feliz . Achei uma ide...

A Mariana do blog Colibri lançou um desafio do qual já muitos devem ter ouvido falar, o Mais de 1000 razões para ser feliz. Achei uma ideia fantástica e, como não podia deixar de ser, decidi aceitar o desafio! Vou começar em breve.

... eu enviar um email aos serviços académicos da universidade que frequento e ligarem-me para resolver o assunto.

... eu enviar um email aos serviços académicos da universidade que frequento e ligarem-me para resolver o assunto.

Quando falo de amizades entre x e y pessoas, tenho muito a mania de associar a algo mútuo, a uma amizade que provém de ambos os lados....

Quando falo de amizades entre x e y pessoas, tenho muito a mania de associar a algo mútuo, a uma amizade que provém de ambos os lados.
Há uns dias estava a comentar que uma rapariga que conheço fez novas amizades na faculdade, mas que as amigas passavam a vida a falar mal dela. E, entretanto, deixaram-me a pensar quando disseram “tu podes ter pessoas que consideras amigos, mas essas pessoas podem não te considerar amiga deles”. E tive de concordar, porque a rapariga de que falei considerava-me uma grande amiga e, para mim, ela não me era nada.



A minha memória é extraordinariamente boa, o que é maravilhoso. Mas e quando ela decide focar os momentos maus/embaraçosos? Ora, aí é que...

A minha memória é extraordinariamente boa, o que é maravilhoso. Mas e quando ela decide focar os momentos maus/embaraçosos? Ora, aí é que estraga tudo. Eu lembro-me de coisas menos boas que aconteceram há 8 anos atrás como se tivesse sido ontem! Pelo contrário, a minha noção de tempo é uma miséria. Coisas que aconteceram há 4 anos e eu penso que foi há apenas um ou dois anos, no máximo!

Julho, julho, julho. Não, não foi nada de especial. Embora seja verão e toda a gente goste, eu não gosto e o calor não é, nem de perto ne...

Julho, julho, julho. Não, não foi nada de especial. Embora seja verão e toda a gente goste, eu não gosto e o calor não é, nem de perto nem de longe, um dos meus melhores amigos. No entanto, julho foi mês de ginásio e foi mês de me surpreender. Porquê? Porque gosto de ir ao ginásio! E é uma grande conquista porque eu e exercício físico temos uma relação de ódio. Ódio, mas mesmo muuuuito ódio! Agora já somos mais amigos, mas...
Em julho podia ter tido todo o tempo livre do mundo, mas não tive. Porque havia sempre imensa coisa para fazer. Lado positivo? Mantenho-me ocupada, o que é bom porque um “defeito” que eu tenho é fartar-me facilmente de fazer nada. E, por isso, farto-me facilmente das férias, e eu já estou desejosa que acabem!
Julho não foi interessante. Que triste.